terça-feira, 5 de setembro de 2017

Beijo me liga

Aconteceu.
A pressão estava grande, a torcida já nem tinha mais esperanças.
Mas aconteceu. E finalmente, já era hora.
Naquela quinta-feira bem igual a todas as outras, simplesmente não fiz o que era garantido que em outros tempos eu faria.
Segurei o meu "não" bem firme diante do rosto e continuei avançando sobre ondas e mais ondas de tristeza e manipulação.
E pela primeira vez na história dessa vida, coloquei o que seria melhor pra mim ali no pódio, brilhando em ouro para não esquecer.
Desculpa aí, mas nesse momento eu preciso vir em primeiro. 
Não é você, sou eu (que não tenho mais esse saco pra te aturar)

domingo, 20 de agosto de 2017

Só o essencial

Olhando assim você não dá nada por aquela bolsinha, mas dessa vida ela já viu muito.
Casou todas as amigas da rodinha. Emprestou o batom pra todas elas.
Pulou em todas as festas.
Não pegou todos os buquês.
Fugiu da maioria, na verdade... vai que a praga pega.
Cantou, desconversou, suspirou e jogou alguns números fora quando eles ainda vinham escritos em pedaços de papel.
A bolsinha, que quanto menor mais elegante, estava em todas.
Mas ah meu filho, como o mundo muda.
Tirei a dita do armário para o próximo casamento só pra constatar a obsolescência.
Nosso apenas o essencial de hoje em dia já começa com 5 polegadas.

domingo, 6 de agosto de 2017

Um dia qualquer quando começa

Acordei, abri a janela e o sol estava brilhando como de costume. No peito, nada me angustiava.
Justo eu que tinha feito a aposta mais pessimista do bolão. 
Belisquei pra confirmar. Eu estava ali e não sentia nada.
O dia andava como dizia o roteiro, brisa e céu azul. Muito estranho, até os passarinhos cantavam como se nada tivesse acontecido.
Não teve choro, não teve drama, nada. Nem uma teoriazinha da conspiração. 
A vida seguia adiante, e só.
É até triste. Você foi embora e tudo o que você deixou foi esse alívio.

Não deixe o samba morrer

Eu canto porque o coração batuca querendo viver.
E batucando esse peito, o canto sai de mim
Me dá vida
Sai pelo meu corpo em forma de dança
Alegria e também lamento
Choro minha mágoa e resgato a minha força de viver além da luta
Desacelero o passo da correria da vida
Pra dançar a cada passo do caminho
Ah, mas se o canto cala
O batuque do peito desespera, chora, grita e perde o sentido
Me perco a ponto de nem mais saber o que sou eu, ou quem, quem sabe.

Fechado para reforma

As vezes você chega de martelo na mão e cinco pregos na boca, animadão para pendurar um quadro novinho na parede do aprendizado.
Pega o lápis, risca aquela marquinha, se afasta, olha bem, aqui vai ficar ótimo
Tudo preparado, segura o prego no lugar, pega o martelo, prepara e... TAU
Acerta um cano.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Caravana de onde?

Eu vim de longe.
Eu vim lá de trás, dos tropeços da vida.
Vim de uma pessoa que não fazia a menor ideia do que estava fazendo e que botava fé lá pelas tantas, que definitivamente - agora sim - tinha aprendido alguma coisinha.
Mas entre uma arriada e outra, confesso que continuo não fazendo ideia. 
De nada. Nada mesmo.
Eu vim de longe, caminhei um bocado, e olha eu aqui. Caminhando ainda!
Tenho até alguns sucessos no cardápio, mas quem diria. 
E quando me perguntaram da onde eu sou, foi que me dei conta. 
Eu não sou de lá. Não mais. 
Agora eu sou do aqui.

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Xis

Naquele dia - que não era exatamente um dos melhores que já tinha passado, vale dizer - não tinha esbarrado nem de longe com aquele estímulo, aquele que te faz erguer as bochechas e mostrar fraternalmente uma porção de dentes. Não.
Tem dias que são assim mesmo, e tudo bem. A vida segue.
Então ele chegou ali sem convite e se deitou, colocou a cabeça sobre seus pés como se fosse o lugar mais confortável do mundo (e quem sabe até fosse), olhou pra ela com os olhos meio fechados e começou a ronronar.
E antes que ela pudesse reagir, foi só dente se debatendo e se empurrando pra ver quem chegava antes pro sorriso.

:D

Lista de desejos

Pare de perguntar sobre o meu silêncio.
Tudo o que ele quer,
É ficar quieto.

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Shhh

Não tinha mais vontade de falar.
E deus sabe, não era a mais indicada pra escutar, muito menos.
Seus pensamentos sempre gritaram feito crianças no recreio, dia e noite - menos hoje.
Algumas pessoas se agitavam em sua volta, queriam saber, queriam ajuda e também sacudir alguma ajuda em frente ao seu nariz - vai saber - mas não dava pra entender o que estava acontecendo.
Não fazia muito esforço, também. As pessoas se agitam por qualquer coisinha hoje em dia.
Tudo estava indiscutivelmente fora de ordem.



quarta-feira, 4 de maio de 2016

Tão pouco

Precisa muita coragem
Pra decidir
Viver sem brilho nos olhos
Uma vida toda
Que ganho é esse que faz isso valer a pena?

terça-feira, 3 de maio de 2016

Gaguejo

Tem esse piano tocando aqui na minha cabeça, sem parar
Como se só estivesse esperando a  hora de eu entrar
E começar a cantar
Nem sei se conheço a letra, ou se ela existe
É agora que eu entro?

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Na montanha

Afinal tudo se resume 
Em subir a montanha 
Do nosso medo
E ficar lá
Pra começar, uns três dias
Alimentando-o somente de vazio.
E dai você, vitorioso voltar pra rotina
Com uma vista toda nova.

Coração de Brigadeiro

Os exames mostraram que o coração dele não anda lá essas coisas. Problema grave, remédio tarja tensa por toda vida, vocês sabem.
Ele recomendou que ele use, até aquele dia que vai ser o último, no mínimo uma boa e generosa dose de agrado. Coçada longa na barriga e aquela pegada nas orelhas.
Petisco também não seria nada mau - essa parte foi o Brigadeiro mesmo quem me disse.
Só obedeço.

terça-feira, 26 de abril de 2016

Me diz

Talvez isso também se encaixe com você.
Mas eu, nasci assim - e está lá registrado no cartório:
Euzinha da Silva, original de fábrica.
E posso garantir
Ninguém é tão eu quanto eu mesma. Juro.
Então porque raios se esforçar tanto pra ser ele?

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Nada de novo

Aquele velho cansaço que bate no lombo.
A cabeça que bate repetidamente nas mesmas velhas histórias.
E a tristeza velha que vem toda ligeirinha bater à porta
(se manda, não tem ninguém!)
E me diz, o que esse velho tem pra te contar?
É, pois é, disse bem - nada de novo.

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Dia do beijo

Hoje quero entregar beijos, pra cada qual aquele que merece.
Trago uns de amor, outros tantos apertados de tanta saudade
Beijo demorado também tem - e aqui olha - aqueles três no rosto que é pra casar.
E não podia esquecer daquele clássico bem no ombro, estalado, pra bem aqueles que não merecem mais beijo nenhum.

(muack!)

terça-feira, 12 de abril de 2016

Um escritor

Aquele que joga no liquidificador
O que ele achou que viu
O bocado que, de fato sentiu
Com uma pitada do que realmente aconteceu
Pra bater bem.
Então decora o copo e oferece para quem quiser beber.

(às vezes ele espreme tudo com as mãos mesmo)

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Cartas na mesa

Botou uma Distância sobre a mesa, nem um pouco disposto a conversar.
O outro jogou então uma mão inteira de Dúvida, para poder confirmar tudo o que vinha pensando de uns tempos pra cá.
Foi aí que ele veio e rebateu com a Culpa, e olha, até que surgiu efeito.
Foi só queixo caindo na mesa verde.
Mas o jogo virou mesmo quando o outro caiu matando com 2 pares de Tempo. 2 pares!
A mesa ainda está preparando pra contar os pontos, mas se vocês me permitem um palpite, senhores... todo mundo saiu perdendo nessa rodada.

Legitima Defesa

Eu fujo, meu bem - É isso que eu faço.
Thanks pelo aviso, baby.
Agora vou apressar meu passo e tratar de fugir de você também.