segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Resumo de 2017

Estendeu o braço sobre a mesa e passou arrastando
Jogou tudo no chão sem nenhuma cerimônia.
- De novo. Do começo. Você ainda não entendeu.

(pelo jeito não né)

Biografia

Uma vez ouvi que dava por certo pra saber tudo sobre alguém a partir dos seus livros.
Bom, fuçando na minha estante, talvez você não descobrisse que adoro dançar de meia, mas certamente saberia que eu organizo tudo pelas cores, começando pelos livros.
Nos presentinhos que guardo ali, tem um álbum de amizades.
Gente que faz muito, muito tempo, gente que passou voando e também gente que saiu correndo. Gente que foi lá do outro lado do mundo e agora tá ali, eternizado na estante naqueles livros que talvez nunca mais vejam seus donos. Mas eles não sabem disso.
Gente que valeu e que vale a pena e gente que aparentemente, nunca conheci de verdade.
Dos livros, tem assunto à beça. Deve ser por isso que não paro de falar.
Tem uma pilha de livros que comprei porque um dia a amiga me emprestou o primeiro.
Tem aqueles preferidos, que nunca jamais terei o suficiente, não importa o que você diga.
Tem os preferidos de tanta gente, na esperança que se tornassem meus preferidos também.
E olhe lá, não é que conseguiram?
Tem aqueles que terminei de ler e corri assistir o filme pra ver se conseguia estar nem que fosse só mais cinco minutinhos naquele cenário, vivendo aquela coisa toda, pra morrer com o coração apertado bem no final do filme.
É uma livrarada.
E estão todos eles ali enfileirados, contando sua história e também um pouco da minha.

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Beijo me liga

Aconteceu.
A pressão estava grande, a torcida já nem tinha mais esperanças.
Mas aconteceu. E finalmente, já era hora.
Naquela quinta-feira bem igual a todas as outras, simplesmente não fiz o que era garantido que em outros tempos eu faria.
Segurei o meu "não" bem firme diante do rosto e continuei avançando sobre ondas e mais ondas de tristeza e manipulação.
E pela primeira vez na história dessa vida, coloquei o que seria melhor pra mim ali no pódio, brilhando em ouro para não esquecer.
Desculpa aí, mas nesse momento eu preciso vir em primeiro. 
Não é você, sou eu (que não tenho mais esse saco pra te aturar)

domingo, 20 de agosto de 2017

Só o essencial

Olhando assim você não dá nada por aquela bolsinha, mas dessa vida ela já viu muito.
Casou todas as amigas da rodinha. Emprestou o batom pra todas elas.
Pulou em todas as festas.
Não pegou todos os buquês.
Fugiu da maioria, na verdade... vai que a praga pega.
Cantou, desconversou, suspirou e jogou alguns números fora quando eles ainda vinham escritos em pedaços de papel.
A bolsinha, que quanto menor mais elegante, estava em todas.
Mas ah meu filho, como o mundo muda.
Tirei a dita do armário para o próximo casamento só pra constatar a obsolescência.
Nosso apenas o essencial de hoje em dia já começa com 5 polegadas.

domingo, 6 de agosto de 2017

Um dia qualquer quando começa

Acordei, abri a janela e o sol estava brilhando como de costume. No peito, nada me angustiava.
Justo eu que tinha feito a aposta mais pessimista do bolão. 
Belisquei pra confirmar. Eu estava ali e não sentia nada.
O dia andava como dizia o roteiro, brisa e céu azul. Muito estranho, até os passarinhos cantavam como se nada tivesse acontecido.
Não teve choro, não teve drama, nada. Nem uma teoriazinha da conspiração. 
A vida seguia adiante, e só.
É até triste. Você foi embora e tudo o que você deixou foi esse alívio.

Não deixe o samba morrer

Eu canto porque o coração batuca querendo viver.
E batucando esse peito, o canto sai de mim
Me dá vida
Sai pelo meu corpo em forma de dança
Alegria e também lamento
Choro minha mágoa e resgato a minha força de viver além da luta
Desacelero o passo da correria da vida
Pra dançar a cada passo do caminho
Ah, mas se o canto cala
O batuque do peito desespera, chora, grita e perde o sentido
Me perco a ponto de nem mais saber o que sou eu, ou quem, quem sabe.

Fechado para reforma

As vezes você chega de martelo na mão e cinco pregos na boca, animadão para pendurar um quadro novinho na parede do aprendizado.
Pega o lápis, risca aquela marquinha, se afasta, olha bem, aqui vai ficar ótimo
Tudo preparado, segura o prego no lugar, pega o martelo, prepara e... TAU
Acerta um cano.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Caravana de onde?

Eu vim de longe.
Eu vim lá de trás, dos tropeços da vida.
Vim de uma pessoa que não fazia a menor ideia do que estava fazendo e que botava fé lá pelas tantas, que definitivamente - agora sim - tinha aprendido alguma coisinha.
Mas entre uma arriada e outra, confesso que continuo não fazendo ideia. 
De nada. Nada mesmo.
Eu vim de longe, caminhei um bocado, e olha eu aqui. Caminhando ainda!
Tenho até alguns sucessos no cardápio, mas quem diria. 
E quando me perguntaram da onde eu sou, foi que me dei conta. 
Eu não sou de lá. Não mais. 
Agora eu sou do aqui.

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Xis

Naquele dia - que não era exatamente um dos melhores que já tinha passado, vale dizer - não tinha esbarrado nem de longe com aquele estímulo, aquele que te faz erguer as bochechas e mostrar fraternalmente uma porção de dentes. Não.
Tem dias que são assim mesmo, e tudo bem. A vida segue.
Então ele chegou ali sem convite e se deitou, colocou a cabeça sobre seus pés como se fosse o lugar mais confortável do mundo (e quem sabe até fosse), olhou pra ela com os olhos meio fechados e começou a ronronar.
E antes que ela pudesse reagir, foi só dente se debatendo e se empurrando pra ver quem chegava antes pro sorriso.

:D

Lista de desejos

Pare de perguntar sobre o meu silêncio.
Tudo o que ele quer,
É ficar quieto.

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Shhh

Não tinha mais vontade de falar.
E deus sabe, não era a mais indicada pra escutar, muito menos.
Seus pensamentos sempre gritaram feito crianças no recreio, dia e noite - menos hoje.
Algumas pessoas se agitavam em sua volta, queriam saber, queriam ajuda e também sacudir alguma ajuda em frente ao seu nariz - vai saber - mas não dava pra entender o que estava acontecendo.
Não fazia muito esforço, também. As pessoas se agitam por qualquer coisinha hoje em dia.
Tudo estava indiscutivelmente fora de ordem.



quarta-feira, 4 de maio de 2016

Tão pouco

Precisa muita coragem
Pra decidir
Viver sem brilho nos olhos
Uma vida toda
Que ganho é esse que faz isso valer a pena?

terça-feira, 3 de maio de 2016

Gaguejo

Tem esse piano tocando aqui na minha cabeça, sem parar
Como se só estivesse esperando a  hora de eu entrar
E começar a cantar
Nem sei se conheço a letra, ou se ela existe
É agora que eu entro?

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Na montanha

Afinal tudo se resume 
Em subir a montanha 
Do nosso medo
E ficar lá
Pra começar, uns três dias
Alimentando-o somente de vazio.
E dai você, vitorioso voltar pra rotina
Com uma vista toda nova.

Coração de Brigadeiro

Os exames mostraram que o coração dele não anda lá essas coisas. Problema grave, remédio tarja tensa por toda vida, vocês sabem.
Ele recomendou que ele use, até aquele dia que vai ser o último, no mínimo uma boa e generosa dose de agrado. Coçada longa na barriga e aquela pegada nas orelhas.
Petisco também não seria nada mau - essa parte foi o Brigadeiro mesmo quem me disse.
Só obedeço.

terça-feira, 26 de abril de 2016

Me diz

Talvez isso também se encaixe com você.
Mas eu, nasci assim - e está lá registrado no cartório:
Euzinha da Silva, original de fábrica.
E posso garantir
Ninguém é tão eu quanto eu mesma. Juro.
Então porque raios se esforçar tanto pra ser ele?

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Nada de novo

Aquele velho cansaço que bate no lombo.
A cabeça que bate repetidamente nas mesmas velhas histórias.
E a tristeza velha que vem toda ligeirinha bater à porta
(se manda, não tem ninguém!)
E me diz, o que esse velho tem pra te contar?
É, pois é, disse bem - nada de novo.

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Dia do beijo

Hoje quero entregar beijos, pra cada qual aquele que merece.
Trago uns de amor, outros tantos apertados de tanta saudade
Beijo demorado também tem - e aqui olha - aqueles três no rosto que é pra casar.
E não podia esquecer daquele clássico bem no ombro, estalado, pra bem aqueles que não merecem mais beijo nenhum.

(muack!)

terça-feira, 12 de abril de 2016

Um escritor

Aquele que joga no liquidificador
O que ele achou que viu
O bocado que, de fato sentiu
Com uma pitada do que realmente aconteceu
Pra bater bem.
Então decora o copo e oferece para quem quiser beber.

(às vezes ele espreme tudo com as mãos mesmo)