segunda-feira, 14 de março de 2016

Reforma Íntima e Espiritual Verão 2016

Via a bonitinha mostrando a vida toda linda no mural, toda certinha.
A estatuazinha, a música, a pose e o significado - que só significava a mais nova cartilha em moda nesta estação.
Mais um jeito de existir igualzinho aos outros, cheio de limites, exibição e aquele tipo sempre muito cheio de razão.
Um jeito de ser que igualzinho aos outros, logo vai perder seu significado.
Vai virar palavra velha.
Até a próxima moda.

Não tem

Não tem buraco. Não tem vazio.
Todo peito é cheio - cheio de ser. amor e pelos.
Quem eu sou e você é, pode encher uma casa inteira
E enche mesmo, é só abraçar a coragem de ser

Não tem buraco, tem só sobra - e como sobra
Tem o-que-a-gente-é caindo pelas beiradas (derramando)
Semeando flor e também algum espinho onde a gente passa
Cada um com o pólen que contém na bolsinha do próprio coração

Não tem vazio, acredite em mim
O vazio é bicho papão escondido embaixo da cama
Que some quando a gente resolve abrir os olhos
E porque não abrir os olhos?





sexta-feira, 4 de março de 2016

Chovendo purpurina

Se sentia apaixonada.
Pelo o que a vida trouxe e talvez principalmente pelo o que ela tratou de levar de vez embora.
Apaixonada por ser ela mesma e cada vez ser um pouco mais o que ela sempre devia ter sido - ela.
Apaixonada pelas possibilidades, apaixonada pelo cheiro do mar e do mato e por conseguir olhar em voltar e encontrar tanta beleza. Por conseguir enxergar a beleza em um mundo que anda tão pronto pra briga.
Apaixonada pois mesmo sem saber que caminho seguir, saber que está sempre um pouco mais perto de chegar.
Apaixonada por entender que tudo aquilo que buscamos no outro é o que deixamos de dar a nós mesmos e devemos sempre sempre sempre florescer. Oferecer nossas cores, nossas flores e deixar nossas sementes. 
Por agradecer por tudo isso, se sente em casa. Dançando de meias na cozinha em qualquer lugar que esteja no mundo.


Se avia

De pernas para cima
Você espera que tudo o que você quer
Venha ao seu encontro, simples assim
Caminhar pelo céu meu bem, ainda não chegou bem sua hora
Bota essas pernas pro chão e vai
Segue

quarta-feira, 2 de março de 2016

Sobre as borboletas que não vêem flores

I.
Aquele frio na barriga
Que a gente sente quando
Vai atravessar uma porta
Que provavelmente importa

II.
Aquele segundo onde o coração
Pára e pula um pouquinho de susto
Só porque aquele bendito nome resolveu
Pipocar assim de repente na sua tela

III.
Aquele sorriso com 57 dentes
Só na parte de cima
Quando se está tentando disfarçar
E aquele total de 103 quando a gente admite que não consegue mesmo
(disfarçar)